PGE apoia mobilização do Dia Internacional da Síndrome de Down

A Procuradoria-Geral do Estado apóia a iniciativa de comemoração e conscientização promovida pela Associação Sergipana do Cidadão com Síndrome de Down (CIDOWN), para o Dia Internacional da Síndrome de Down 2019 que este ano tem o tema “Não deixe ninguém para trás”.

O tema tem objetivo de chamar atenção de toda sociedade e do Poder Público em prol das pessoas com Síndrome de Down nos mais diversos segmentos, a exemplo da Educação e do mercado de trabalho.

Sabendo que o desenvolvimento de bebês e crianças com Síndrome de Down é influenciado pela qualidade do amor, cuidado, estímulo, educação e experiência social fornecidos por suas famílias e comunidades – assim como toda e qualquer criança, a iniciativa objetiva ainda, alertar o quão importante se faz acompanhar o trabalho de progressão de vida de cada indivíduo já que isso influencia futuras atitudes e oportunidades.

A diretora de relações públicas da CDIDOWN e procuradora do estado, Rita de Cássia Matheus, afirma que a iniciativa vem trazendo resultados valorosos para a inclusão de pessoas com síndrome de down em sergipe: “O indivíduo com Síndrome de Down precisa ter oportunidades de viver com dignidade e se desenvolver como qualquer outra pessoa. Para que isso aconteça são necessárias condutas positivas de inclusão e de crença na sua capacidade. Atitudes de discriminação e preconceito, aliadas à falta de informação provocam o esquecimento dessas pessoas enquanto agentes que podem contribuir e transformar a realidade. Uma sociedade desenvolvida é aquela em que todos que a compõe pode viver uma vida plena, uma vida digna, sem qualquer distinção. Por isso, avancemos juntos e não deixemos ninguém para trás.”

Rita de Cássia Matheus ainda afirma que por ser mãe de uma criança com síndrome de down, vive um amor pelo e incondicional: “Como mãe de uma criança síndrome de Down afirmo que de fato a diferença está no amor. Esse amor que simplifica as coisas, que nos faz enxergar o mundo com outros olhos e nos impulsiona a seguir em frente em busca de um mundo melhor, mais justo. Minha filha é uma criança linda, amada, esperta e muito feliz. Emana luz e amor por onde passa. Isso é o que de fato importa. O Cromossomo a mais é apenas um detalhe”, pontua.

Para comemorar o Dia Internacional da Síndrome de Down 2019 em nossa Cidade, a CIDOWN – Associação Sergipana do Cidadão com Síndrome de Down preparou uma série de atividades.

Sobre o dia

Oficialmente estabelecida em 2006 e amplamente divulgada, essa data tem por finalidade dar visibilidade ao tema, reduzindo a origem do preconceito, que é a falta de informação correta. Em outras palavras, combater o “mito” que teima em transformar uma diferença num rótulo, numa sociedade cada vez mais sem tempo, sensibilidade ou paciência para o “diferente”. A Síndrome de Down foi descoberta em 1862 pelo médico britânico John Langdon Down (que bem podia chamar-se John Up, para colaborador, e apesar de ainda estarmos em situação muito distante da ideal, nesse intervalo de 153 anos muitos foram os avanços no âmbito da ciência e da sociedade, de forma especial nas últimas três décadas. Basta observar com os casos da síndrome aparentemente “aumentaram”. Mas não. É que antigamente as crianças ou adultos com a síndrome pouco saíam de casa.