Com uma sonoridade cada vez mais original fruto da fusão entre o Nyahbing e o Dub proporcionando o dialogo entre o Blues e o Maracatu, a banda Ato Libertário formada no inicio de 2011 na cidade de Aracaju/SE vem consolidando seu nome no cenário musical se destacando pela autenticidade de seus arranjos fincados no Reggae de Raiz jamaicano aberto as influencias da nossa riquíssima musica brasileira com uma pitada de improvisação tornando cada apresentação um momento único para o publico.

Em 2012 a banda lançou seu primeiro disco de forma totalmente independente intitulado “PRA QUEM VIVE“. O álbum foi mixado por Max Nascimento e contou com a participação especial de Luiz de Assis da banda Vibrações, esse trabalho foi fundamental para dar visibilidade a banda que a cada apresentação foi cativando seu publico cada vez mais e abrindo portas para eventos maiores como o Projeto verão 2012 e o Verão Sergipe 2013 em que dividiu o palco com Gilberto Gil.

Após dois anos do lançamento do primeiro disco a banda acaba de lançar o seu segundo trabalho intitulado “LENHA NA FOGUEIRA” também mixado por Max Nascimento e conta com as participações do Poeta Mauri de Noronha, Thiago Ruas e VJ Rasta. Em 2014 a banda começou uma nova fase rompendo fronteiras, levando seu som para outros estados do nordeste como Ceará, Rio Grande do Norte e Alagoas, obtendo uma boa aceitação por parte do publico além de cidades do interior de Sergipe.

Com mensagens de alerta, transformação cultural e revolução espiritual a banda Ato Libertário segue seu caminho fazendo da musica seu veiculo de transmissão de ideias frente as ilusões impostas pela grande mídia, unindo musicalidade e informação em letras e arranjos que expressam da forma mais verdadeira a real essência do grupo.

Erivaldo de Carira, é filho de “Manezinho do Carira”, sanfoneiro de oito baixos e de dona Julita. Começou a tocar sanfona aos dez anos de idade, vindo a ser conhecido com o sobrenome de sua terra natal, Carira, uma pacata cidade do Agreste sergipano que está situada à 112 km de Aracaju. Tornou-se um dos mais importantes referencias da música nordestina na região onde dedicou grande parte de sua carreira, Aracaju.

O primeiro LP surgiu com o incentivo de Antônio Poderoso e foi intitulado “Forró a Brasileira”, pela Fama Som Music do Brasil. O primeiro single foi a música “Fazenda Velha”. Após isso, o sucesso foi iminente e a medida que os anos passavam surgiam novos discos como “Mate Sua Sede”, “Mistura de Forró”, de 1986, “Meu Forró é Assim”, de 1989, “Ainda Sou Bom Nisso” de 1990, “De pai para filho”, de 1995 e, em 97, o primeiro CD, “As melhores de Erivaldo de Carira”.

Já são mais de 30 anos de estrada musical e que garantiram encontros com grandes artistas do cenário musical nacional como Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Flávio José, Clemilda, Adelmário Coelho, Oswaldinho do Acordeom, Sivuca, Pedro Sertanejo, Mestre Zinho, Trio Nordestino, Antônio e Cecéu, Josa e tantos outros.

O Sanfoneiro teve três filhos, Erivaldinho, Mestrinho e Thais, que seguem carreira artística com sucesso, sendo dois já consagrados sanfoneiros da nova geração do Brasil.

*Com informações do site oficial

Sandyalê nasceu em Aracaju (SE), onde passou a infância e adolescência respirando a brisa acolhedora da praia de Atalaia, cenário característico que inspira artistas da cidade desde a década de 70, ouvindo seu avô cantar baladas do The Platters, Orlando Silva e Nelson Gonçalves. Soltou sua voz pela primeira vez ainda criança acompanhando sua mãe em noitadas de karaokê e alcançando as maiores notas.

Mesmo com uma timidez que só desaparece no palco, Sandyalê transitou nas tribos do surf, skate,cantou em bandas de rock e em trios elétricos de carnaval, até descobrir a banda de reggae sergipana Reação. A partir daí, a cantora se deixou influenciar pelo gênero e começou a definir os primeiros traços da sua personalidade artística.

Em 2011, foi morar no Rio de Janeiro, em busca do sonho de cantar, conhecendo de perto a cena boêmia da Lapa, cantando em pequenas casas, mas diante da dificuldade em fazer contatos para gravar um álbum, foi trabalhar no Projac como figurante dos programas da Rede Globo até janeiro de 2013, quando então decide voltar pra Aracaju e abraçar de vez a carreira de cantora.

Em agosto de 2013, Sandyalê conheceu o produtor musical segipano Dudu Prudente, que topou gravar seu primeiro EP, usando todas as referências que a cantora já tinha acumulado até então, dando espaço também pra novas ideias e sonoridades que surgiriam a partir dali.

Formada em 2010, a micro-big-band faz a fusão da cultura dj com as diversas melodias mundo afora, levando para o mundo o maracatu de brejão, a taieira e o forró para executar um caldeirão sonoro de melodias cativantes e batidas fortes.

No palco, os instrumentistas linkam aparatos tecnológicos à sanfona, percussões, sopros e vozes entoando canções sem palavras envoltas por projeções e luzes provocando uma sensação festiva e imagética.

Atualmente a Coutto Orchestra vem ganhando destaque em importantes espaços do cenário da música brasileira como shows na Feira da Música (CE), Porto Musical (PE), Festival Quebramar (AP), BNB Instrumental (PB e PE), LAB Festival(AL), Festival de Inverno de Garanhuns (PE), Festival Quebramar (AM), Palco Giratório (SE), Verão Sergipe (SE) e participação em diversas coletâneas fisicas e virtuais como Bass Culture e Beyound e Viva Brasil (BM&A), Serigy All Stars (Disco de Barro), dentre outras.