28/07/2014, 11:32

TCE promove exibição de curtas-metragens sergipanos


 

TCE-promove-exibição-de-curtas-metragens-sergipanosO Tribunal de Contas do Estado de Sergipe promove a exibição de curtas-metragens sergipanos e de dois longas-metragens, dirigidos pelo cineasta cearense, mas de filmografia basicamente, paulista Hermano Penna.

Todos os filmes – oito curtas-metragens feitos em Sergipe e premiados em festivais da categoria, e os dois longas – serão exibidos no auditório do Tribunal de Contas do Estado de Sergipe, a partir das 11h, de 2ª à 5ª feiras da próxima semana. Os servidores do TCE serão dispensados das atividades para acompanharem as exibições. O público em geral que tiver interesse terá acesso livre ao auditório do órgão, a partir das 10h30.

O Presidente do TCE, Carlos Pinna, destaca a importância desta Mostra, com o objetivo de fazer com que os próprios sergipanos comprovem a qualidade dos filmes aqui produzidos. “É preciso, mais do que nunca, incentivar os novos cineastas sergipanos a explorar a riqueza de nossa cultura em seus filmes”, disse ele, ressaltando a beleza plástica que cada um dos oito curtas-metragens selecionados apresenta.

Entre os que serão exibidos estão “A Mão que Borda”, que foi dirigido por Caroline Mendonça, sobre as bordadeiras de Cedro de São João. “Aracajoubert”, dirigido por Jade Moraes, ressaltar a arte de Joubert Moraes, um dos nossos melhores artistas plásticos. E “Luzeiro”, de Raphael Borges, sobre uma família de pequenos produtores de farinha, que luta para conseguir energia elétrica em sua propriedade.

O diretor Hermano Penna terá dois dos longas-metragens dele exibidos nesta mostra do TCE. Na 4ª feira, exibe-se “Sargento Getúlio”, filmado em Poço Redondo e que tem Lima Duarte interpretando o personagem título, ao lado de muitos atores sergipanos, como Orlando Vieira, Antônio Vieira, Marieta Fontes, Amaral Cavalcante, e, numa ponta, o jornalista e intelectual Luiz Antônio Barreto.

Aos Ventos Que Virão” também foi filmado no alto sertão sergipano. É a história de um ex-cangaceiro e sua luta para integrar-se à vida civil. Muda-se para São Paulo, trabalha na construção civil e termina como vereador. É o papel de Rui Ricardo Dias.

Além dos autores de renome, a exemplo de Emanuelle Araújo, Luis Miranda, Marat Descartes, Aldo Bueno e Neusa Borges, há vários atores sergipanos no elenco, como Orlando Vieira, Antônio Leite, Everardo Sena, Vieira Neto, João Jatobá, Andrea Vilela, além do grupo de Teatro Xaxado, e o grupo Mamulengo do Cheiroso, com Augusto Barreto e Rinaldo Machado.

Fonte: TCE